Empreendedores

A criação de uma empresa na Europa pode ser complexa. Requer conhecimentos de legislação e regulamentos locais (impostos), cultura, idioma, costumes e hábitos. Mas também conhecimento de fatores como infraestrutura, geografia, política e concorrência.

Na PRISMAAT temos esse conhecimento e queremos partilhá-lo consigo!

Se pretende entrar no mercado Português, e consequentemente europeu, através do empreendedorismo pode optar pela modalidade que mais se adapte à sua situação e exercício profissional.

1 – Visto D2 – Caso necessite de um visto para entrar em Portugal pode pedir o Visto D2 mediante um conjunto de requisitos que incluem um Plano de Negócios.

2 – Manifestação de Interesses artigo 89º – Caso não necessite de um visto para entrar em Portugal e pretenda desenvolver a sua actividade cá, com criação de empresa ou como freelancer, pode submeter uma Manifestação de Interesses sob o artigo 89º, pedindo assim uma autorização de residência.

3 – Manifestação de Interesses artigo 88º – Trabalhador Subordinado – tal como na situação anterior, mas mediante um contrato de trabalho subordinado, numa empresa em Portugal.

4 – Tech Visa / Visto D1 – Para quem tem que precisa de visto para entrar em Portugal e pretende trabalhar numa empresa local, pode submeter o pedido de um Visto específico para esse fim.

Visto D2

Manifestação de Interesses

Freelancer

Trabalhador Subordinado / Visto D1

Tech Visa

Criação de Empresa

Contacte-nos para saber mais:

Abrir Chat