União Europeia, Schengen e Outras Divisões/Uniões

O velho continente é conhecido por há muito se ter dividido nas mais variadas nações com comunalidades e diferenças entre elas e internamente também. No pós-guerra (Segunda Mundial) começaram a surgir as primeiras aproximações às Uniões, mantendo-se ainda hoje activas (UE ou EFTA por exemplo). Para além das alianças comerciais a união de povos aprofundou-se com a abertura de fronteiras e o estabelecimento da livre circulação de bens e pessoas entre estados aderentes (Schengen) e desenvolveram-se alianças económicas com a criação da moeda comum (o Euro).

Nesta infografia, queremos mostrar as várias áreas que dividem o Continente Europeu como a área Schengen, EFTA, EU Costums Union, EEA, Eurozone e EU, mais à frente explicaremos cada uma delas mais detalhadamente e o seus países aderentes.

Comecemos pela UE – União Europeia. A ideia de uma União Europeia surgiu depois da segunda grande guerra, algumas pessoas tiveram a ideia de unir uma Europa que estava desfeita pela guerra, o que levou à criação da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço, à assinatura dos Tratados de Roma e ao nascimento do Parlamento Europeu.

Até aos anos 90, que foi o ano de fundação da União Europeia, vemos o fim do comunismo pela Europa toda e um aumento de cooperação entre países com variados tratados bilaterais.

Nos anos 90 vemos uma Europa mais unida, sem fronteiras e a moeda única é implementada, e até aos dias de hoje assistimos a um alargamento de países aderentes, sendo que dos 27 actuais, o último a entrar foi a Croácia, em 2013.

A ideia do Espaço Schengen surgiu na visão de uma Europa unida e sem fronteiras, em que as fronteiras só existem em mapas. Este aspecto é importante para muitas áreas de negócio, facilita a exportação, a relação entre países melhora, e há uma maior cooperação entre todos os países envolventes.

O Espaço Schengen, apesar de muitas vezes ser confundido, não inclui os mesmos países que a União Europeia. Desta forma inclui alguns países da UE, países da EFTA e um micro estado, nomeadamente: Áustria, Bélgica, Chequia, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Gibraltar, Grécia, Hungria, Itália, Islândia, Liechtenstein, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mónaco, Países Baixos, Noruega, Portugal, Polónia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Suécia e Suíça.

A EFTA é o Associação Europeia de Comércio Livre e consiste em que os seus membros não sejam sujeitos a impostos alfandegários quando exportam algum produto dos países membros, que serve para fazer crescer o comércio nestes países. Daqui surgiu o Espaço Económico Europeu que anteriormente se chamava Comunidade Económica Europeia, falaremos a seguir sobre o Espaço Económico Europeu.

Entre os países europeus fundadores está Portugal, Suécia, Reino Unido, Dinamarca e Áustria, a que se juntou mais tarde a Finlândia.

A EFTA actualmente é constituída por quatro países que não pertencendo à UE, fazem parte do espaço Schengen: o Liechtenstein, Noruega, Islândia e Suíça.

Como dito no parágrafo anterior, o EEE (Espaço Económico Europeu) tem como objectivo alargar o mercado interno a todos os países da União Europeia e aos países da EFTA, que não fazem parte da UE, até que futuramente decidam fazer parte da UE.

Uma nota importante é que a Suíça é o único país da EFTA a não fazer parte do acordo com o Espaço Económico Europeu, mas em contrapartida tem mais de 120 acordos bilaterais com a UE

O EUCU tem como objectivo facilitar actividades comerciais de empresas europeias sobre bens que vêem de fora da UE para ajudar a proteger os cidadãos, o animais e o ambiente. Os países trabalham todos em conjunto como se fossem um só, aplicando os mesmos direitos a tudo o que seja importado do resto do mundo.

No que diz respeito à União Europeia, todos os países que fazem parte da UE, não pagam taxas aduaneiras entre si.

A Eurozone corresponde aos países que partilham a mesma moeda: o Euro. Este grupo inclui países exclusivamente da UE, sendo que alguns micro estado também cunham e utilizam o Euro, nomeadamente Andorra, San Marino, Mónaco e Vaticano.

Inicialmente faziam parte da zona euro 11 países mas hoje em dia fazem parte 19, com a inclusão de países como Grécia, Eslovénia, Chipre, Malta, Eslováquia, Estónia, Letónia e Lituânia.

Todos os países estão ligados ao Banco Central Europeu que regula com uma politica monetária única para manter a estabilidade da moeda, e cada país tem um banco central nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.